.

-

"Quando o sol da cultura está baixo, também os anões lançam longas sombras"

- Wenn die Sonne der Kultur niedrig steht, werfen auch Zwerge lange Schatten

- Karl Kraus

*

__

Encontro Cultural


_

Cultura é tudo aquilo de que a gente se lembra após ter esquecido o que leu. Revela-se no modo de falar, se sentar, de comer, de ler um texto, de olhar o mundo. É uma atitude que se aperfeiçoa no contato com a arte. Cultura não é aquilo que entra pelos olhos, é o que modifica seu olhar.”

JOSÉ PAULO PAES (1926 – 1998)


OS DESTAQUES EM AMARELO SÃO OS EVENTOS DO DIA !!!!!

__ ♪ ___

_


__ ♪ ___

Literatura - Conjunto de conhecimentos relativos às obras ou aos autores literários.

_ ___

-

_

Vivemos uma ditadura Econômica

“As pessoas estão mais empenhadas em ter casa, emprego e uma posição social. Não se preocupam com ações que influenciem a vida dos outros. " Ovídio Jairo Rodrigues Mendes /USP. 2012

_

Quer fazer uma viagem no tempo? Em Goiás, cada detalhe tem histórias para contar. Histórias que valem ouro.

www.cidadeshistoricasgoias.com.br

_


ética

“ A ética não é uma questão de ação individual, mas de esquecimento ou sacrifício do próprio eu, de modo que o indivíduo possa trabalhar em benefício de uma comunidade mais ampla. “

Tetsuro Watsuji ( 1889 – 1960), filósofo japonês.

Aviso

OS DESTAQUES EM AMARELO SÃO OS EVENTOS DO DIA !!!!!

OS DESTAQUES EM AMARELO SÃO OS EVENTOS DO DIA !!!!!

OS DESTAQUES EM AMARELO SÃO OS EVENTOS DO DIA !!!!!

.

.

" Desenhar e fazer poesia é quase igual"

Dahmer, cartunista

.

Translate – Tradução

.



                 
        






PAISAGEM DE BRASÍLIA
A Kori Bolivia

O lago, diamante líquido,
brilha no flanco verde
da altura horizontal do cerrado.
Esmeraldinas, retorcidas árvores
ungem, luzentes, de mansas primícias,
o cristalino ambiente.
O lago, volátil, suspenso, vertical,
estampa os jardins,
sob a clareira de brancos véus fúlgidos:
céu azul-turquesa que resplandece
os cristais do Sol.
O casario emerge da espessura
como joias incrustadas no veludo.

Marcio Catunda










 

 

 

19.06   . . .  25.06

2017
.

♫ 
.
vivencie a literatura do DF, GO e AL
 viva a cultura!

.

                    ♫ 
.

“Os leitores que preferem o impresso gostam do cheiro da tinta, do som de virar as páginas, da textura do papel e da calma que traz a leitura do formato do jornal, sendo também um prazer para a visão. Além disso, não são poucos os que citam o prazer associado a um café. Isso é muito interessante, pois a leitura do jornal passou a aguçar os cinco sentidos, ou seja, a princípio já estimulava a visão, o tato, a audição e o olfato, mas como o paladar não estava presente, o café completa o processo”, explicou  Simone Tuzzo, professora da Faculdade de Comunicação e Informação da UFG, em trecho do livro  Os Sentidos do Impresso'. - UFG.br 02.06

.






 __ 



Destaques  Sublimes futuros

em Distritro Federal, Goiás e Alagoas



.
29.06 Lançamento do livro ''Adrenalina sombria'' de Thaís Barros na LIVRARIA CULTURA - CASAPARK
.
30.06 Livraria Sebinho apresenta Lançamento do livro “Socialismo e Liberdade: Uma história do PSB (1945-1965)” de  Herbert Gler Mendes Dos Anjos
.
30.06 Lançamento do livro “Midia E Eleições No Brasil”  de  Denise Maria Mantovani , em BSB – CD

28.07 a 08.10 8a. Bienal Internacional do Livro de ALAGOAS

02 a 04.08 BSB/CNPM/ 8º Congresso Brasileiro de Gestão do Ministério Público. Tema: Ministério Público e sustentabilidade: o direito das presentes e futuras gerações.

28.07 a 08.10 8a. Bienal Internacional do Livro de ALAGOAS
.
18 a 20.10 UFG/GO/  XVI SEMANA DE HISTÓRIA, HISTÓRIA, CINEMA E NARRATIVAS AUDIOVISUAIS
.


_       
.


.

.




segunda-feira ... 19
.


.
19 e 20.06 III Seminário Internacional - Soluções alternativas no processo penal, que será realizado nos dias 19 e 20 de junho, na sede do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), em Brasília.
.
19.06 Centro Celso Furtado/ RJ realiza Debate crítico: novo-desenvolvimentismo.
.
19.06  31º café científico de Brasília no  Café Daniel Briand (104 norte)
Tema: “A Governança Global da Biodiversidade Marinha, entre desafios de gestão e preservação da biodiversidade”
Palestrantes: Ana Flávia Barros (IREL UNB) e Andrei Polejack (MCTIC).
Moderadora:  Alice Rocha, (UniCEUB)
.
19.06  BSB/ LANÇAMENTO de LIVRO: JUDICIALIZAÇÃO DA SAÚDE : A VISÃO DO PODER EXECUTIVO
AUTORA: MARIA PAULA DALLARI BUCCI E CLARICE SEIXAS DUARTE. 
.
19.06 RODA VIVA da próxima segunda-feira (19) vai entrevistar o médico e escritor Drauzio Varella. No programa, ele falará sobre saúde e prevenção de doenças, a questão das cracolândias e de seus dois livros, lançados recentemente.
Às 22h15, na TV Cultura, no Facebook e no site.
.




" Ao acordar, a geração dos millennials, nascida entre 1980 e 2000, entra no Instagram muito antes de ir ao banheiro (…)  Os desafios dos bancos tradicionais não é tecnológico, mas sim cultural. Hardware, software, processos e estratégias estão disponíveis. Porém, mudar a cultura e as pessoas deve ser o tema principal da agenda de qualquer CEO. E buscar entender o cliente, que quer ir ao banco esteja ele onde estiver - dentro do carro, no Facebook ou no Instagram." - Leia mais em ' DESAFIOS DAS INSTITUIÇÕES É CULTURAL '   em VALOR ECONÔMICO  14.06.17
.


.




.


terça-feira ... 20
.
20.06 BSB/  BSB/  LANÇAMENTO de LIVRO: HISTÓRIAS DE BRASÍLIA
AUTOR: JOÃO CARLOS AMADOR
.
20 a 25.06 SEDUCE/GO/ Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (Fica 2017) na cidade de Goiás/GO
De volta ao Cineteatro São Joaquim, a Mostra Competitiva d conta com uma lista de 25 filmes na disputa. Entre esses, 10 são brasileiros, com 4 goianos entre os representantes nacionais.

20.06 a 09.07 CCBB/DF/ Mostra Novo Cinema Indiano
.
20 a 23.06 GO/ 19ª Semana de História e 3º Congresso Regional de História, em QUIRINÓPOLIS
.
20.06  CÂMARA/ COMISSÃO DE EDUCAÇÃO - PAUTA:  Debater o PL nº 4559/2016 que dispõe sobre o Reajuste Anual das Bolsas concedidas pelos órgãos federais de apoio e fomento à pós-graduação e pesquisa.
.

.



.









♫______







quarta-feira ... 21

.
.
21.06 STJ/ Seminário Incorporação Imobiliária na Perspectiva do STJ.
.
21.06 149 ANOS DO NASCIMENTO DE GRAÇA ARANHA (1868-1931)
.
21.06  BSB/  LANÇAMENTO de LIVRO: GENTE INTELIGENTE SE OLHE NO ESPELHO
AUTOR: HOMERO REIS.
.
.




.


"A sociedade avançou muito no sentido de punir, mas não dá para varrer em poucos anos uma cultura. Não devemos esperar que a corrupção, no caso brasileiro, será suprimida da noite para o dia. Para mudar uma mentalidade são necessários séculos", ressalta a historiadora Denise Moura. A colonização do Brasil foi baseada na concessão de cargos, caracterizada pelo patrimonialismo (ausência de distinção entre o bem público e privado) e clientelismo (favorecimento de indivíduos com base nos laços familiares e de amizade). Apesar de mudanças no sistema políticos, essas caraterísticas se perpetuaram ao longo dos séculos. A corrupção persiste no Brasil devido a essa estrutura de colonização, diz a historiadora. - DW.com 12.06






quinta-feira ... 22



.
22.06 BSB/ LANÇAMENTO de LIVRO: OLHOS DE CARVÃO
AUTOR: AFONSO BORGES
.

22.06 PUC/GO/ V SEMANA CIENTÍFICA DE HISTÓRIA
TEMA:  Memória, Estética e Ditadura: A Construção da Consciência Histórica.
.


.



“ Ética e eficiência: por que é tão necessário reformar os tribunais de Contas? Ao longo dos anos, a competência dos  tribunais de Contas no Brasil, que remontam ao século XIX, se expandiu, sendo-lhes atribuídos deveres mais complexos, como os de fiscalização. No entanto, ficou mantido o critério de indicação política dos membros desses tribunais, semelhante ao de um século atrás, com a diferença de que, se antes era o chefe do Executivo que fazia a escolha, a partir da Constituição Federal de 1988 inaugurou-se um sistema de misto, em que aquele passou a escolher um membro, e o Legislativo, os outros quatro, restando às carreiras técnicas apenas uma vaga para cada uma. Essa nova composição, em que, dos sete membros, cinco são indicados por critérios políticos, pode ser explicada em razão da vitória do Parlamento (que redigiu a nova Constituição) sobre o poder central e sobre a ditadura militar.
(...) Os recentes episódios de corrupção, que assistimos alarmados, demonstraram que o atual modelo dos tribunais de Contas (que custa mais de R$ 10 bilhões à nação ao ano) falhou no seu dever básico de fiscalizar os atos e contratos sujeitos a seu exame, não sendo capaz de impedir ou reprimir práticas corruptas e antieconômicas.
No Congresso Nacional, tramita ainda a PEC 329/2013, que possui três eixos. O primeiro quer dar um basta às indicações políticas para os tribunais de Contas; O segundo eixo defende que conselheiros dos TCs também sejam fiscalizados por um órgão externo; Por fim, o terceiro quer que os procuradores do Ministério Público de Contas gozem de plena autonomia.  Cláudia Fernanda de Oliveira Pereira é procuradora do Ministério Público de Contas do Distrito Federal, presidente do Conselho Nacional de Procuradores-Gerais de Contas e associada do Ministério Público Democrático (MPD).
REVISTA CONSULTOR JURÍDICO 12.06








♫______

" Instituições como Ministério Público e Receita Federal, e não políticos, farão democracia brasileira avançar “, diz Maria Celina D'Araújo, cientista política e professora da PUC-Rio - VALOR 09.06









sexta-feira ... 23
.
.

.
23.06 Livraria Sebinho apresenta Lançamento do livro “Midia E Eleições No Brasil” de  Denise Maria Mantovani
.
23 e 24.06 ES/ Seminário " QUEIMADO, perspectivas da legalidade territorial do projeto arqueológico de restauração e de revitalizarão" - SERRA/ES
.



"Prestigiar a Lava-Jato, sem desrespeitar a Constituição"   Carlos Velloso. Ele não se surpreendeu com o resultado do julgamento do processo de cassação da chapa Dilma-Temer. “Temos uma República constituída em Estado Democrático de Direito e não uma República de bananas.”  -  CORREIO BzB 11.06
.

" É  uma contradição inaceitável. Não posso ficar em um partido com tamanha incoerência e fragilidade ética".  Miguel Reale Jr, jurista, ao se desfiliar do PSDB - CONJUR.com.br 14.06




.






“ Dentro de uma democracia, o fluxo de ideias, reflexões, ponderações e opiniões sobre determinados assuntos, dentro de um ambiente democrático, deve respeitar não apenas o princípio da liberdade de expressão, “mas deve respeitar uma ideologia de um mercado livre de ideias, que significa a possibilidade de narrativas sobre um determinado fato poderem conviver e competir dentro da esfera pública, por um sentido de verdade para as relações sociais” ”.
 Alexandre Pacheco da Silva,  professor da FGV que fez um paralelo entre narrativas e democracia, ao considerar que a divulgação de informações contribui para o debate público, em 
 exposição do especialista ocorrida  na tarde de segunda-feira (12), na audiência pública sobre a aplicabilidade do direito ao esquecimento na esfera civil, realizada no Supremo Tribunal Federal. STF.jus 12.06
Ele ressalta que   “Mesmo que a narrativa possa não ter sido da melhor forma contada, desde que ela respeite fatos e fontes fidedignas, devemos respeitá-la”.  Conclui  que  “Hoje, para nós pensarmos em uma sociedade democrática, não apenas o Poder Judiciário, mas o ordenamento jurídico como um todo, tem que se resguardar da possibilidade de que narrativas podem concorrer entre si”, concluiu Alexandre Pacheco da Silva.








♫______







sábado ... 24
.
.
24.06 Lançamento do Livro Cordel do Trabalhador de On~Silva na  33ª Feira do Livro de Brasília










“Sou uma espécie de cronista sonoro do meu tempo”
Confira entrevista com o cantor Lenine, que se apresenta na UFG nesta terça-feira (13/6), no projeto Música no Câmpus - UFG.br 12.06





" Estamos diante de uma corrupção sistêmica. Ela começa na eleição, compromete governos e permite que os maiores doadores oficiais e não oficiais do país, que são construtoras e empresas ligadas à proteína animal, tornem-se os grandes beneficiários das políticas de desenvolvimento do país. Um capitalismo de laços. " - leia mais em ' Políticos sob vigilância ' -  VALOR 09.06





 





domingo ... 25
.
.
UCB/ Estudantes da disciplina de Ética discutiu  sistemas de cotas
O estudo levou em consideração cinco tipos de cotas existentes. O debate serviu de base para o trabalho de sistematização, que é parte da avaliação final do semestre. - Leia mais em http://www.ucb.br/Noticias/2/10071/EstudantesDaDisciplinaDeEticaDiscutemSistemasDeCotas/

CNJ cria secretaria de documentação para preservar sua história -  REVISTA CONSULTOR JURÍDICO 12.06
.
Crise afugenta cientistas e transfere pesquisas do Brasil: "Na penúria"
O órgão afirma ainda que está atuando junto aos Ministérios da Fazenda e do Planejamento para buscar a recuperação do orçamento da pasta e que tem como prioridade apoiar os seus 16 institutos de pesquisa para "evitar que impactos ... - UOL CIÊNCIA 12.06 -  Veja mais em https://noticias.uol.com.br/ciencia/ultimas-noticias/redacao/2017/06/12/crise-afugenta-cientistas-e-transfere-pesquisas-do-brasil-na-penuria.htm?cmpid=copiaecola
.
Até 30.06 (insc.) MEC/ Prêmio Literário Ferreira Gullar,
Poeta, crítico e ensaísta, Ferreira Gullar foi líder do movimento literário conhecido como neoconcretismo, surgido no Rio de Janeiro na década de 50. Os adeptos ao movimento acreditavam que a arte tinha sensibilidade, expressividade e subjetividade próprias e eram contrários às atitudes cientificistas e positivistas nas manifestações artísticas.

Até 30.06 (insc) Câmara / Prêmio Brasil Mais Inclusão
.
Até 28.07 MINC/  Edital de Seleção Pública “Culturas Populares: Edição Leandro Gomes de
Barros”
A cultura tradicional e popular é o conjunto de criações que emanam de uma
comunidade cultural, fundadas na tradição, expressas por um grupo ou por indivíduos e que
reconhecidamente respondem às expectativas da comunidade enquanto expressão de sua
identidade cultural e social; as normas e os valores se transmitem oralmente, por imitação
ou de outras maneiras. Suas formas compreendem, entre outras, a língua, a literatura, a  música, a dança, os jogos, a mitologia, a religiosidade, os rituais, as festas, os costumes, o
artesanato, a arquitetura, a medicina, a culinária e as formas de expressão plástica, entre
outras.
.




.

 


  



     



... em  V O G A: 


.
.

Até JUN.2017 UnB/ LITERATURA
A Universidade de Brasília recebe até junho o circuito de conferências públicas 8 Grandes da Literatura Latino-Americana. Todas as quartas-feiras, às 19h, no anfiteatro 9, especialistas da academia debatem a obra de grandes escritores.
.
Até JUNHO/17   FESTIVAL »
Latinidades em campanha
No ano em que completa 10 anos, o Festival da Mulher Afro Latina Americana e Caribenha (Latinidades), que já recebeu nomes como Angela Davis e Patricia Hill Collins e é uma vitrine para artistas negros, precisa da ajuda do público. Com edição prevista para ocorrer de 27 a 30 de julho na cidade, o evento está promovendo uma campanha de financiamento coletivo no site Catarse. O objetivo é arrecadar R$ 50 mil para custear parte da programação artística, que envolve financiamento de cachês, passagens aéreas e hospedagem.
.
Até 19.06 (insc) Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social 2017. As iniciativas vencedoras nas seis categorias - "Água e Meio Ambiente"; "Agroecologia"; "Economia Solidária"; "Educação"; "Saúde e Bem-Estar" e "Cidades Sustentáveis e Inovação Digital" - receberão  R$ 50 mil.
.
Até  25.06 33ª Feira do Livro de Brasília acontece  no Pátio Brasil Shopping.
.
Até  25.06 SP/  IN-EDIT BRASIL - 9º FESTIVAL INTERNACIONAL DO DOCUMENTÁRIO MUSICAL - DON LETTS EM SÃO PAULO + MOSTRA 40 ANOS DO PUNK + 50 ANOS DA TROPICÁLIA + FEIRA DE VINL
.
Até 14.08 (insc) Prêmio Respostas para o Amanhã. Alunos do ensino médio de escolas públicas de todo o Brasil poderão, até dia 14/08/2017, inscrever seus projetos para melhoria de suas comunidades.





 __  _  

" Congressistas que debatem a reforma da Previdência são sócios ou administradores de companhias que devem ao INSS R$ 372 milhões. "
CARTACAPITAL.COM.BR


"CPI não pode convocar juiz para justificar suas decisões. Violaria a separação dos poderes",  diz o ministro Luis Roberto Barroso, do STF - BRASIL 247.com 11.06
.




  




Circulando em Brasília, em  
19.06.17
.
segunda-feira
.
 _     Hoje   _    eu quero a rosa mais linda que houver  _   E a primeira estrela que vier  … (Dolores Duran)
.
.



LITERATURA »
O menino que desenhava
Em biografia, quadrinista Mauricio de Sousa revela histórias até então desconhecidas do grande público,
Mauricio — A história que não está no gibi
Mauricio de Sousa. Editora Sextante, 336 páginas. Preço médio: R$ 39,90. Leia mais em CORREIO BzB 18.06
.
Cine Brasil (Pré-estreia)
Meus 15 anos
(Brasil, 2016, comédia, 94 min. Não recomendado para menores de 10 anos). De Caroline Fioratti. Com Rafael Infante, Larissa Manoela, Daniel Botelho. Tímida, Bia ganha uma festa de aniversário de 15 anos, porém a jovem não tem muitos amigos. Ela conta com a ajuda do amigo, Bruno, e do pai, Edu, para conseguir algumas amizades.

Estreia

Sepultura endurance
(Brasil, 2016, documentário, 104min. Não recomendado para menores de 14 anos). De Otavio Juliano. Documentário retrata a trajetória da banda Sepultura, com imagens de shows, momentos pessoais e bastidores.

Um tio quase perfeito
(Brasil, 2016, comédia, 96min. Classificação indicativa livre). De Pedro Antonio. Com Marcus Majella, Ana Lucia Torre, Letícia Isnard. Tony e a mãe, Cecília, são dois trambiqueiros. Após serem despejados, eles vão morar com Angela, irmã de Tony. Ela viaja e deixa os três filhos com o tio Tony, o que promete muita confusão.
.
Mostra de cinema uruguaio
CCBB (SCES Tc 2, lt 22). Hoje, às 16h — O banheiro do Papa (El baño del Papa, Uruguai, 2007, comédia, 90min. Não recomendado para menores de 10 anos). De César Charlone e Enrique Fernández. Às 18h — A viagem até o mar (El viaje hacia el mar, Uruguai, 2003, aventura, 78min. Classificação indicativa livre). De Guillermo Casanova. Às 20h — Os modernos (Los modernos, Uruguai, 2016, drama, 135min. Não recomendado para menores de 16 anos). De Marcela Matta e Mauro Sarser. Entrada franca.



.
Até 16.07 Exposição O tempo dos sonhos
Caixa Cultural Brasília (SBS Q. 4, lt. 3/4). Até 16 de julho. De terça a domingo, das 9h às 21h. Mostra de arte aborígine contemporânea da Austrália. Entrada franca. Classificação indicativa livre.

.


.
PROGRAMAÇÃO TEATRO DEODORO 2017



Saia de Casa em Brasília
(fonte: Correio Braziliense 02.06)

.







AGENDA CULTURAL do BAR GLÓRIA
.





Saiba mais:
http://df.divirtasemais.com.br/ - CORREIO BRAZILIENSE
.
Eventos da área de Letras/Linguística:

         





            




 






                        www.acontecendodfdoedu.blogspot.com
.
                                www.amanhadfdoedu.com.br
 .




 .

    

.



 

.
Exposição de Arte

.



.
Até  11.06 BsB/  Exposição: A Falta Que Você Faz - Cruz Vermelha no Museu da República
.
Até  22.06 UCB/ Exposição “Bestiarum: as bestas medievais e fantásticos animais’,  no Museu Itinerante de História Natural
.


Até 26.06 Exposição O corpo e a casa no Centro Cultural Banco do Brasil (Sces, Tc. 2)  Exposição com obras de Erwin Wurm que discutem o corpo humano, a partir do físico, psicológico e espiritual. Entrada franca. Classificação indicativa livre.
.
Até  12.07 Casa da Luz Vermelha tem o prazer de informar que no dia 14 de junho às 20h será inaugurada a primeira itinerância da mostra fotográfica “Sobre linhas, membranas e fronteiras”, com obras de Cléo Alves Pinto, José Roberto Bassul, Michelle Bastos e curadoria de Renata Azambuja,  na galeria Olho de Águia em Taguatinga
As obras dos portfolios que estarão expostas acabaram por adquirir uma potência por terem encontrado, em seu conjunto, pontos de convergência temáticos em que estão presentes espaço, arquitetura, cartografias, etnografia. “O olhar do fotógrafo, informado por suas questões pessoais, aponta para uma versão da verdade, mesmo quando dirige-se para um objeto real”, afirma Renata Azambuja. “A partir disso, os fotógrafos revelam várias facetas do real, e daí emergem catalogações etnográficas e imaginárias, um interesse pela semiologia que introduz narrativas, e olhares antropológicos sobre as imagens, marcando a presença e a interferência do ser humano na paisagem”, ressalta a curadora.
Para Kazuo Okubo, idealizador do Foto Capital, a realização de um evento dedicado à fotografia com leitura de portfólios é uma oportunidade única para os fotógrafos apresentarem seus trabalhos a importantes curadores, estudiosos da fotografia e realizadores de festivais, que podem abrir portas para uma maior visibilidade da produção dos artistas visuais.
.

Até 26.07 Exposição: Coleção Sociedade dos Cem Bibliófilos do Brasil em  Galeria de Arte da  Câmara dos Deputados
.



" Procure-me idoso e seja surpreendido pelo meninho escondido atrás dos versos "
Luiz Carlos Medina, SP
.













EM GOIÂNIA:


-_
.




“INOVAR É SONHAR”




___




" Marcelo Odebrecht não herdou só uma empresa, herdou uma cultura de propina"   HERMAN BENJAMIN, relator do processo no TSE - FOLHA SP 09.06
.





.
Vivencie BSB & GYN
.
www.encontroculturaldf.blogspot.com
.
  


.






Está por vir  em Brasília, Goiás e Alagoas …
♪ _   

___          _____




.
.

27.06  109 ANOS DO NASCIMENTO DE GUIMARÃES ROSA (1908-1967)

29.06 Lançamento do livro ''Adrenalina sombria'' de Thaís Barros na LIVRARIA CULTURA - CASAPARK
.
30.06 Livraria Sebinho apresenta Lançamento do livro “Socialismo e Liberdade: Uma história do PSB (1945-1965)” de  Herbert Gler Mendes Dos Anjos
.
30.06 e 01.07 AL/ DATA SCIENCE BUSINESS WEEKEND, no HOTEL JATIÚCA
.
30.06 BSB/ Lançamento do livro “Midia E Eleições No Brasil”  de  Denise Maria Mantovani , em BSB – Carpe Diem
.
30.06 CCJF-RJ/  I Seminário Desenvolvimento & Justiça Ambiental, realizado em parceria com o Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Local do Centro Universitário Augusto Motta, UNISUAM, em comemoração ao dia do Meio Ambiente, deseja discutir os eixos que estruturam o evento de forma relacionada, pois só assim poderemos dar passos importantes para superar os sérios problemas socioambientais que enfrentamos.
O Brasil tem batido recordes em desigualdade social no mundo pelo mecanismo de admitir a prosperidade dos ricos por meio da expropriação dos que já são pobres. Não se pode falar em progresso e desenvolvimento nessa situação, em que certos capitais lucram com a transferência dos males ambientais para os mais desprotegidos.

12.07 a 09.08 (insc) UEG/GO/  Pós-Graduação | Aberto edital do Mestrado Territórios e Expressões Culturais no Cerrado 
O início das aulas será em março de 2017.
.
27 a 30.07 DF/ Festival da Mulher Afro Latina Americana e Caribenha (Latinidades)
Horizontes de liberdade: Afrofuturismo nas asas da Sankofa. O conceito é baseado no movimento do afrofuturismo e também no símbolo do pássaro Sankofa, que significa voltar ao passado e ressignificar. “Vamos trazer o movimento artístico que começou nos Estados Unidos e mostra as pessoas negras pensando no futuro e na ficção científica, que é um espaço que os negros e as mulheres negras não estão associados. E também em voltar ao passado para pensar o presente e construir o futuro. A nossa ideia nesse momento difícil é questionar: que futuro queremos construir? Que mundo seria esse a partir desse horizonte de luta?” - CORREIO BzB 15.06
.
28.07 a 08.10 8a. Bienal Internacional do Livro de ALAGOAS
.
01 a 05.08 UCS/ III CONGRESSO DA ASSOCIAÇÃO REGIONAL PARA AMÉRICA LATINA E O CARIBE DA SOCIEDADE INTERNACIONAL DE MUSICOLOGIA - Santos
.
02 a 04.08 BSB/CNPM/ 8º Congresso Brasileiro de Gestão do Ministério Público. Tema: Ministério Público e sustentabilidade: o direito das presentes e futuras gerações.
.
11.08 a 01.09 AL/ Casa da Palavra apresenta XXXII Curso de Emergências Clínico-Cirúgicas
.
25 e 26.08 XXIV JORNADA ALAGOANA DE PSIQUIATRIA
.
30.08 a 01.09 GO/ UEG realiza 1º Congresso Interdisciplinar em Ciências da Saúde
.

30 e 31.08 2º Simpósio de Ciências Ambientais, na UEG
.
06 a 10.09 AL/ ENCONTRO DE CULTURAS LUSOBRASILEIRA
.
06 a 10.09 AL/ ENCONTRO DE CULTURAS LUSOBRASILEIRA
.
13 a 15.09 PUC/GO / VI Congresso da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Teologia e Ciências da Religião. Com o tema Religião, Migração e Mobilidade Humana. O objetivo do congresso é discutir o impacto da religião nos processos de migração e mobilidade humana no Brasil e no mundo.
.
21.09 Dia Nacional da Luta da Pessoa com Deficiência
.
25 e 26.09  BSB/ IV Encontro Nacional de Aperfeiçoamento da Atuação do Ministério Público no Controle Externo da Atividade Policial.
.
27 a 29.09 Centro de Estudos Celso Furtado apresenta XVI Congresso Internacional do FoMerco - Fórum Universitário Mercosul"
.
04 a 06.10 16º Seminário Internacional de Leitura, Literatura e Linguagens, com o tema Novas Topografias Textuais 2017,  em Passo Fundo-RS (até 21.08 insc)
.

18 a 20.10 UFG/GO/  XVI SEMANA DE HISTÓRIA, HISTÓRIA, CINEMA E NARRATIVAS AUDIOVISUAIS
.
23 e 24.10 RJ/  XVI Congresso Brasileiro do Ministério Público de Meio Ambiente
.
06 a 08.11 HSM EXPO 2017 - SP
.

08 a 10.11 III Encontro Nacional de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional -  Curitiba.
.
16.11   AL/ VIII JPMB e I Simpósio da ABMUS - MARECHAL DEODORO

2019  UFAL sedia em 2019 próximo Congresso da Associação Brasileira de Linguística









.
.
 
Envie eventos culturais promovidos em sua comunidade pelo e-mail  edusoares@uol.com.br


.


FACEBOOK:

facebook.com/cultura.literamar.eduardojorge.brasil
   


“A literatura é o laboratório do possível.”
Ricardo Piglia





Manchetes
(principais jornais do Brasil)
.
.
GO/ Pesquisa da UFG explica porque as pessoas ainda leem impresso
Estudo comparou ato de ler notícias na internet e no papel e concluiu que jornais impressos são mais atrativos e possuem maior credibilidade - UFG.br
.
LITERATURA        
Alexandre Guarnieri lança livro de poemas baseado em Major Tom
Vencedor do Jabuti, escritor se volta, agora, ao famoso personagem de David Bowie - Reuters 04.06
.
Criador da Turma da Mônica, Mauricio de Sousa lança autobiografia
O livro 'A História que Não Está no Gibi' reúne relatos de vida e arte do cartunista de 81 anos

Uma cidade de livros
A ideia lançada pelo Açougue Cultural T-Bone, há 10 anos, rende frutos. A confeitaria de Raquel Moura (foto), no Sudoeste, e uma galeria de Taguatinga também decidiram brindar os visitantes com literatura. (Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)A ideia lançada pelo Açougue Cultural T-Bone, há 10 anos, rende frutos. A confeitaria de Raquel Moura, no Sudoeste, e uma galeria de Taguatinga também decidiram brindar os visitantes com literatura. - CORREIO BzB 29.05

Até 12.06 (insc.) BsB/ 19 e 20.06 III Seminário Internacional - Soluções alternativas no processo penal, que será realizado nos dias 19 e 20 de junho, na sede do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), em Brasília. O evento tratará de temas como colaboração premiada, justiça restaurativa e acordos penais. (Até 12.06 insc.)


SEM CRISE
A arrecadação do Ecad (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição), que recolhe direitos autorais de músicas no país, chegou a R$ 842 milhões em 2016, 9% mais do que no ano anterior, segundo o órgão. O dinheiro foi distribuído para mais de 200 artistas e associações de música. - Colunista Mônica Bérgamo - FOLHA SP 01.05







 _____

.




.

  
.

Leia mais sobre Brasília www.acontecendodfdoedu.blogspot.com

www.amanhadfdoedu.blogspot.com

.



 .   
.

EM EVIDÊNCIA



.
Até 21.06 (insc)  UEG/ GO/ Mestrado em Desenvolvimento Rural Sustentável
.
Até  22.06 UCB/ Exposição “Bestiarum: as bestas medievais e fantásticos animais’,  no Museu Itinerante de História Natural
.
Até 30.06 Câmara abre inscrições para Prêmio Brasil Mais Inclusão
O prêmio é destinado a empresas, entes federados (União, Estados e Municípios), entidades ou personalidades que tenham realizado ações em prol da inclusão de pessoas com deficiência.
.
At;e 31.06 (insc) UEG/GO  Congresso de Ensino, Pesquisa e Extensão da Universidade Estadual de Goiás (Cepe|UEG). Com o tema Inclusão, formação e produção de conhecimento: como você transforma o mundo?, o congresso será realizado entre os dia 18 e 20 de outubro, no Câmpus Pirenópolis.
.
.
Até JULHO/17 CCBB/DF IDEIAS
Literaturas Encontros com Autores da Nova Literatura Brasileira
O projeto Literaturas reúne até julho, sempre na penúltima segunda-feira de cada mês, alguns dos mais importantes nomes da novíssima literatura brasileira, que têm hoje entre 30 e 40 anos. O primeiro encontro é com o romancista João Paulo Cuenca, que ministra uma oficina literária e, em seguida, participa de bate-papo com Paulo Paniago e o ator Luiz Felipe Ferreira, que lerá trechos de suas obras. informações: textointermidia@textointermidia.com.br.
.
Até  23.07 (insc)  AL/ CIRCUITO PENEDO DE CINEMA
.
Até 24.07 Projeto Literaturas
No CCBB. Os encontros acontecem mensalmente no CCBB (SCES Tr. 2). A entrada é franca e, para as oficinas, a classificação indicativa é 16 anos.
.
Até 31.07.17 (insc) Prêmio Funpresp-Jud 2017.
Serão duas modalidades, uma para concurso de frases e outra para campanha de adesão.
Essa modalidade tem por objetivo estimular a participação e a reflexão da sociedade em relação à importância da previdência complementar, destacando sua importância para o servidor público.

Até  NOV/17 Roda de Leitura do Sebinho 2017
Objetiva o incentivo à leitura e uma familiarização maior com a literatura. A ideia é que olhares diversos sobre um mesmo texto tende a enriquecê-lo e a fazê-lo mais significativo para o leitor. Para fazer parte da roda de leitura basta que leia as obras indicadas e comparecer ás reuniões nos dias marcados. Os encontros acontecem sempre as 19h na Livraria Sebinho.
Ciclo William Shakespeare:  29/04/2017 – Otelo  - 27/05/2017 – Macbeth - 24/06/2017 – Rei Lear
Ciclo Literatura Alemã: 29/07/2017 – Os Sofrimentos do Jovem Werther de Johann Wolfgang von Goethe
26/08/2017 – Morte em Veneza de Thomas Mann
30/09/2017 – O Processo de Franz Kafka
28/10/2017 – O Jovem Törless de Robert Musil
25/11/2017 – Jakob von Gunten de Robert Walsen
.
Até DEZ/2017 SESC/AL lança o Arte da Palavra - Rede Sesc de Leitura, um projeto literário de âmbito nacional que será realizado em formato de circuitos, com representantes da diversidade literária brasileiro, que percorrerão 12 estados. - Programação: http://www.sescalagoas.com.br/dados/bancoDeMidia/arquivos/%7B6167893be99efc9a32b73b842fd9e6c2%7D_arte_da_palavra___programa__o_em_al.pdf
.

.




     



Inovar é quebrar a rotina






FACEBOOK:

facebook.com/cultura.literamar.eduardojorge.brasil
   





Manchetes
(principais jornais do Brasil)
.


Lima Barreto, HOMENAGEADO da FLIP 2017
 Negro, pobre, marginalizado, alcoólatra, interno de hospícios – e um gênio. Um dos mais importantes escritores da história do Brasil, o carioca Afonso Henriques de Lima Barreto, ou simplesmente Lima Barreto, autor de Triste Fim de Policarpo Quaresma e O Homem que Sabia Javanês, entre muitos outros, será o próximo homenageado da Flip, a Festa Literária de Paraty, no anvem.
.




 _____

.







.

  
.

Leia mais sobre Brasília www.acontecendodfdoedu.blogspot.com

www.amanhadfdoedu.blogspot.com

.







 .   
.

.






     



Inovar é quebrar a rotina







Nenhum comentário:

Pinc ...

LER POESIA É MAIS ÚTIL PARA O CÉREBRO QUE LIVROS DE AUTOAJUDA, DIZEM CIENTISTAS

Ler autores clássicos, como Shakespeare, William Wordsworth e T.S. Eliot, estimula a mente e a poesia pode ser mais eficaz em tratamentos do que os livros de autoajuda, segundo um estudo da Universidade de Liverpool . Fonte: FSP Ilustrada (15.01.2013)

t

Profissionais que consomem cultura trabalham melhor
O profissional não precisa ter vergonha de suas preferências, seja porque elas não são as mais sofisticadas, como frequentar uma exposição ou ir a um cinema alternativo, seja porque não são o que está na moda. Uma hora ou outra, ele pode usar um conhecimento que nunca imaginou que pudesse ser necessário. “Quando falamos em cultura, abrangemos várias coisas. Toda hora, você demonstra cultura, então, o que é chamado cultura inútil também é bem-vindo”.

ASSÉDIO MORAL

___♫

ASSÉDIO MORAL

Uma Jornada de trabalho perigosa

Aumenta a cada dia o número de denúncias de trabalhadores colocados em situação degradante e humilhante nos locais de trabalho.

60% dos casos ocorrem em grandes empresas privadas, de caráter nacional e internacional.

80% dos assediados sofrem de dores generalizadas, 45% apresentam aumento de pressão arterial, mais de 60% queixam-se de palpitações e tremores e 40% sofrem redução da libido ( desejo sexual).

Maneiras de praticar: gestualmente, verbalmente, veladamente, explicitamente, e por meio de fofocas e situações humilhantes e vexatórias.

Isso devasta a vida do sujeito, porque atinge aquilo que ele tem de mais caro, sua dignidade humana.

No Brasil, as “punições e premiações” estão entre as formas mais comuns de violência organizacional, Margarida Barreto, médica e especialista em assédio moral.

www.carosamigos.com.br (FEV/2012)

___♫

País pobre, país rico



Há dez anos...

Mensagem para reflexão Conhecimento
"Ilustríssimos Colegas da Mesa, Senhor Presidente, meus queridos Alunos, Senhoras e Senhores.
Para mim é um privilégio ter sido escolhido paraninfo desta turma. Esta é como se fora a última aula do curso. O último encontro que já deixa saudades. Um momento festivo, mas também de reflexão.
Se eu fosse escolhido paraninfo de uma turma de Direito, talvez falasse da importância do advogado que defende a justiça e não apenas o réu. Se eu fosse escolhido paraninfo de uma turma de Medicina, talvez falasse da importância do médico que coloca o amor ao próximo acima dos seus lucros profissionais. Mas, como sou paraninfo de uma turma de engenheiros, vou falar da importância do engenheiro para o desenvolvimento do Brasil.
Para começar, vamos falar de bananas e do doce de banana, que eu vou chamar de bananada especial, inventada (ou projetada) pela nossa vovozinha lá em casa, depois que várias receitas prontas não deram certo.
É isso mesmo. Para entendermos a importância do engenheiro vamos falar de bananas, bananadas e vovó.
A banana é um recurso natural que não sofreu nenhuma transformação. A bananada é = banana + outros ingredientes + a energia térmica fornecida pelo fogão + o trabalho da vovó e + o conhecimento ou tecnologia da vovó.
A bananada é um produto pronto, que eu vou chamar de riqueza. E a vovó? Bem, a vovó é a dona do conhecimento, uma espécie de engenheira da culinária.
Agora, vamos supor que a banana e a bananada sejam vendidas. Um quilo de banana custa um real. Já um quilo da bananada custa cinco reais. Por que essa diferença de preços? Porque quando nós colhemos um cacho de bananas na bananeira, criamos apenas um emprego: o do colhedor de bananas. Agora, quando a vovó, ou a indústria, faz a bananada, ela cria empregos na indústria do açúcar, da cana-de-açúcar, do gás de cozinha, na indústria de fogões, de panelas, de colheres e até na de embalagens, porque tudo isto é necessário para se fabricar a bananada. Resumindo, 1kg de bananada é mais caro do que 1kg de banana porque a bananada é igual a banana mais tecnologia agregada, e a sua fabricação criou mais empregos do que simplesmente colher o cacho de bananas da bananeira.
Agora vamos falar de outro exemplo que acontece no dia-a-dia no comércio mundial de mercadorias. Em média: 1kg de soja custa US$ 0,10 (dez centavos de dólar), 1kg de automóvel custa US$ 10, isto é, 100 vezes mais, 1kg de aparelho eletrônico custa US$ 100, 1kg de avião custa US$ 1.000 (10 mil quilos de soja) e 1kg de satélite custa US$ 50.000.
Vejam, quanto mais tecnologia agregada tem um produto maior é o seu preço, mais empregos foram gerados na sua fabricação.
Os países ricos sabem disso muito bem. Eles investem na pesquisa científica e tecnológica. Por exemplo: eles nos vendem uma placa de computador que pesa 100g por US$ 250. Para pagar esta plaquinha eletrônica, o Brasil precisa exportar 20 toneladas de minério de ferro. A fabricação de placas de computador criou milhares de bons empregos lá no estrangeiro, enquanto que a extração do minério de ferro cria pouquíssimos e péssimos empregos aqui no Brasil.
O Japão é pobre em recursos naturais, mas é um país rico. O Brasil é rico em energia e recursos naturais, mas é um país pobre. Os países ricos são ricos materialmente porque eles produzem riquezas. Riqueza vem de rico.
Pobreza vem de pobre. País pobre é aquele que não consegue produzir riquezas para o seu povo. Se conseguisse, não seria pobre seria país rico.
Gostaria de deixar bem claro três coisas:
1) Quando me refiro à palavra riqueza, não estou me referindo a jóias nem a supérfluos. Estou me referindo àqueles bens necessários para que o ser humano viva com um mínimo de dignidade e conforto;
2) não estou defendendo o consumismo materialista como uma forma de vida, muito pelo contrário; e
3) acho abominável aqueles que colocam os valores das riquezas materiais acima dos valores da riqueza interior do ser humano.
Existem nações que são ricas, mas que agem de forma extremamente pobre e desumana em relação a outros povos.
Creio que agora posso falar do ponto principal. Para que o nosso Brasil torne-se um país rico, com o seu povo vivendo com dignidade, temos que produzir mais riquezas. Para tal, precisamos de conhecimento, ou tecnologia, já que temos abundância de recursos naturais e energia. E quem desenvolve tecnologias são os cientistas e os engenheiros, como estes jovens que estão se formando hoje.
Infelizmente, o Brasil é muito dependente da tecnologia externa. Quando fabricamos bens com alta tecnologia, fazemos apenas a parte final da produção. Por exemplo: o Brasil produz 5 milhões de televisores por ano e nenhum brasileiro projeta televisor. O miolo da TV, do telefone celular e de todos os aparelhos eletrônicos, é todo importado. Somos meros montadores de kits eletrônicos.
Casos semelhantes também acontecem na indústria mecânica, de remédios e, incrível, até na de alimentos. O Brasil entra com a mão-de-obra barata e os recursos naturais. Os projetos, a tecnologia, o chamado pulo do gato, ficam no estrangeiro, com os verdadeiros donos do negócio. Resta ao Brasil lidar com as chamadas "caixas pretas".
É importante compreendermos que os donos dos projetos tecnológicos são os donos das decisões econômicas, são os donos do "dinheiro", são os donos das riquezas do mundo. Assim como as águas dos rios correm para o mar, as riquezas do mundo correm em direção aos países detentores das tecnologias avançadas.
A dependência científica e tecnológica acarretou para nós, brasileiros, a dependência econômica, política e cultural. Não podemos admitir a continuação da situação esdrúxula, onde 70% do PIB brasileiro são controlados por não-residentes. Ninguém pode progredir entregando o seu talão de cheques e a chave de sua casa para o vizinho fazer o que bem entender.
Eu tenho a convicção de que o desenvolvimento científico e tecnológico aqui no Brasil garantirá aos brasileiros a soberania das decisões econômicas, políticas e culturais. Garantirá trocas mais justas no comércio exterior.
Garantirá a criação de mais e melhores empregos. E, se toda produção de riquezas for bem distribuída, teremos a erradicação dos graves problemas sociais.
O curso de engenharia da UERJ, com todas as suas possíveis deficiências, visa a formar engenheiros capazes de desenvolver tecnologias. É o chamado engenheiro de concepção, ou engenheiro de projetos. Infelizmente, o mercado desnacionalizado nem sempre aproveita todo este potencial científico dos nossos engenheiros.
Nós, professores, não podemos nos curvar às deformações do mercado. Temos que continuar formando engenheiros com conhecimentos iguais aos dos melhores do mundo. Eu posso garantir a todos os presentes, principalmente aos pais, que qualquer um destes formandos é tão ou mais inteligente do que qualquer engenheiro americano, japonês ou alemão. Os meus trinta anos de magistério, lecionando desde o antigo ginásio até a universidade, me dão autoridade para afirmar que o brasileiro não é inferior a ninguém, pelo contrário, dizem até que somos muito mais criativos do que os habitantes do chamado primeiro mundo.
O que me revolta, como professor e cidadão, é ver que as decisões políticas tomadas por pessoas despreparadas ou corruptas são responsáveis pela queima e destruição de inteligências brasileiras que poderiam, com o conhecimento apropriado, transformar o nosso Brasil num país florescente, próspero e socialmente justo.
Acredito que o mundo ideal seja aquele totalmente globalizado, mas uma globalização que inclua a democratização das decisões e a distribuição justa do trabalho e das riquezas. Infelizmente, isto ainda está longe de acontecer, até por limitações físicas da própria natureza. Assim, quem pensa que a solução para os nossos problemas virá lá de fora, está muito enganado.
O dia em que um presidente da república e todo o governo resolverem liderar um autêntico projeto de desenvolvimento nacional, certamente o Brasil vai precisar, em todas as áreas, de pessoas bem preparadas. Só assim seremos capazes de caminhar com autonomia e tomar decisões que beneficiem verdadeiramente a sociedade brasileira.
Será a construção de um Brasil realmente moderno, mais justo, inserido de forma soberana na economia mundial e não como um reles fornecedor de recursos naturais e mão-de-obra aviltada.
Quando isto ocorrer, e eu espero que seja em breve, o nosso país poderá aproveitar de forma muito mais eficaz a inteligência e o preparo intelectual dos brasileiros e, em particular, de todos vocês, meus queridos alunos, porque vocês já foram testados e aprovados.
Finalmente, gostaria de parabenizar a todos os pais pela contribuição positiva que deram a nossa sociedade, possibilitando a formação dos seus filhos no curso de engenharia da UERJ.
A alegria dos senhores também é a nossa alegria.
Muito Obrigado."
WEBER FIGUEIREDO - UERJ - 13/08/2002

tvc

VANTAGENS CULTURAIS

não são aproveitáveis

É uma pena, mas o foco excessivo no curto prazo nos faz perder muito da vantagem que os grandes ativos intangíveis de nossa cultura nacional nos dão, tais como a capacidade de aprender e criar. Neutraliza os fatores positivos de nossa cultura e o capital intelectual de nossas organizações.

Temos muito mais a oferecer ao mundo. A cultura nacional brasileira é inclusiva, não temos os problemas com diversidade étnica e cultural que a maior parte do mundo tem. Não temos uma relação belicosa entre os gêneros e convivemos com alegria com pessoas de outras culturas. Temos também muita liberdade criativa e uma relação especial com a beleza e as artes. Essas são vantagens maiores do que podem parecer

Mas temos a desvantagem de concentrar poder excessivamente e não abrir espaços adequados para a participação efetiva das pessoas, ter o foco muito restrito na hora de trabalhar e ignorar alternativas por pressa de chegar a resultados.

Os japoneses, os norte-americanos e os alemães tiveram sucesso criando modelos de gestão adequados a suas necessidades e a sua cultura. Nós ainda não paramos para fazer isso. Os chineses estão caminhando na direção de criar uma maneira chinesa de aumentar o valor de seus produtos e serviços. Os indianos investem fortemente em educação de altíssima qualidade para grande número de pessoas.

E nós continuamos copiando soluções que deram certo em outras empresas no exterior e simplificando problemas que merecem um tratamento mais adequado. Em termos de cultura e instituições, temos algumas vantagens em relação à China e à Índia, mas precisamos aprender a cooperar como eles cooperam-se quisrmos dar passos maiores.

Carmen Migueles, doutora em sociologia em sociologia das organizações, mestre em antropologia pela Universidade de Sophia ( Tóquio, Japão) e hostoriadora pela Pontifícia Universidade Católica gaúcha.

-

Artigo sobre o BBB* – Luís Fernando Veríssimo


Um texto velho de Luis Veríssimo sobre um tema recorrente: o poder da mídia global.

-


Que me perdoem os ávidos telespectadores do Big Brother Brasil (BBB), produzido e organizado pela nossa distinta Rede Globo, mas conseguimos chegar ao fundo do poço. [...] Chega a ser difícil encontrar as palavras adequadas para qualificar tamanho atentado à nossa modesta inteligência.
[...] Pergunto-me, por exemplo, como um jornalista, documentarista e escritor como Pedro Bial que, faça-se justiça, cobriu a Queda do Muro de Berlim, se submete a ser apresentador de um programa desse nível. Em um e-mail que recebi há pouco tempo, Bial escreve maravilhosamente bem sobre a perda do humorista Bussunda referindo-se à pena de se morrer tão cedo. Eu gostaria de perguntar se ele não pensa que esse programa é a morte da cultura, de valores e princípios, da moral, da ética e da dignidade.
Outro dia, durante o intervalo de uma programação da Globo, um outro repórter acéfalo do BBB disse que, para ganhar o prêmio de um milhão e meio de reais, um Big Brother tem um caminho árduo pela frente, chamando-os de heróis. Caminho árduo? Heróis? São esses nossos exemplos de heróis?
Caminho árduo para mim é aquele percorrido por milhões de brasileiros, profissionais da saúde, professores da rede pública (aliás, todos os professores) , carteiros, lixeiros e tantos outros trabalhadores incansáveis que, diariamente, passam horas exercendo suas funções com dedicação, competência e amor e quase sempre são mal remunerados.
Heróis são milhares de brasileiros que sequer tem um prato de comida por dia e um colchão decente para dormir, e conseguem sobreviver a isso todo santo dia.
Heróis são crianças e adultos que lutam contra doenças complicadíssimas porque não tiveram chance de ter uma vida mais saudável e digna.
Heróis são inúmeras pessoas, entidades sociais e beneficentes, ONGs, voluntários, igrejas e hospitais que se dedicam ao cuidado de carentes, doentes e necessitados (vamos lembrar de nossa eterna heroína Zilda Arns).
Heróis são aqueles que, apesar de ganharem um salário mínimo, pagam suas contas, restando apenas dezesseis reais para alimentação, como mostrado em outra reportagem apresentada meses atrás pela própria Rede Globo.
O Big Brother Brasil não é um programa cultural, nem educativo, não acrescenta informações e conhecimentos intelectuais aos telespectadores, nem aos participantes, e não há qualquer outro estímulo como, por exemplo, o incentivo ao esporte, à música, à criatividade ou ao ensino de conceitos como valor, ética, trabalho e moral. São apenas pessoas que se prestam a comer, beber, tomar sol, fofocar, dormir e agir estupidamente para que, ao final do programa, o “escolhido” receba um milhão e meio de reais. E ai vem algum psicólogo de vanguarda e me diz que o BBB ajuda a "entender o comportamento humano". Ah, tenha dó!!!
Veja o que está por de tra$$$ do BBB: José Neumani da Rádio Jovem Pan, fez um cálculo de que se vinte e nove milhões de pessoas ligarem a cada paredão, com o custo da ligação a trinta centavos, a Rede Globo e a Telefônica arrecadam oito milhões e setecentos mil reais. Eu vou repetir: oito milhões e setecentos mil reais a cada paredão.
Já imaginaram quanto poderia ser feito com essa quantia se fosse dedicada a programas de inclusão social, moradia, alimentação, ensino e saúde de muitos brasileiros? (Poderia ser feito mais de 520 casas populares; ou comprar mais de 5.000 computadores). Essas palavras não são de revolta ou protesto, mas de vergonha e indignação, por ver tamanha aberração ter milhões de telespectadores.
Em vez de assistir ao BBB, que tal ler um livro, um poema de Mário Quintana ou de Neruda ou qualquer outra coisa..., ir ao cinema..., estudar... , ouvir boa música..., cuidar das flores e jardins... , telefonar para um amigo... , visitar os avós... , pescar..., brincar com as crianças... , namorar... ou simplesmente dormir. Assistir ao BBB é ajudar a Globo a ganhar rios de dinheiro e destruir o que ainda resta dos valores sobre os quais foi construído nossa sociedade.

Obs.: BBB* - Big Brother Brasil

( Luís Fernando Veríssimo )